Ciclo de Crescimento e Perda de Cabelo

O cabelo emerge do couro cabeludo em unidades foliculares, cada uma contendo até quatro cabelos, sendo que, em média, 20% contém apenas um, 45% contêm dois, 30 % contêm três e, 10% contém quatro cabelos. Essa proporção é variável de pessoa para pessoa e, de acordo com a idade e género.

Todos os cabelos diversos o corpo passam por ciclos de crescimento, repouso e queda.

O cabelo começa o seu ciclo de vida pela fase anagénica (crescimento) crescendo desde 1 até 2 cm por mês, na cabeça, durante 2 a 6 anos, sendo este ciclo mais longo nas mulheres do que nos homens. Nos outros locais do corpo, têm fases de crescimento mais curtas; por isso, os pêlos, nunca atingem o comprimento dos cabelos da cabeça.

Segue-se a fase catagénica (repouso) que dura desde 2 até 6 semanas, na qual o cabelo começa a querer soltar-se do folículo.

Finalmente, vem a fase telogénica (perda de cabelo) em que os cabelos caem e as raízes permanecem em descanso, ocorrendo durante 2 a 4 meses. Neste período, o cabelo é empurrado para fora do folículo, já que um novo cabelo está a nascer, iniciando-se, de novo, a fase anagénica.

A densidade capilar é um dos fatores com mais importantes aquando da avaliação do potencial paciente a um transplante capilar, pois é determinante para definir a quantidade de cabelo a transplantar.

Normalmente, a densidade média situa-se entre os 100 e os 140 cabelos por cm2, pelo que, um transplante com 60 cabelos por cm2 poderá proporcionar um aspecto similar ao que o paciente teve no passado.

Se a zona doadora do paciente, nas regiões occipital e temporal, tiver o cabelo forte, bem escuro, consistente e, eventualmente, ondulado, com menos cabelos obterá melhores resultados. Pelo contrário, se o seu cabelo é fino, louro, fraco e a sua área doadora está a ficar cada vez mais reduzida, só vai ser possível resolver parcialmente o seu problema.

Não nos podemos esquecer que a área doadora é limitada, tendo entre 4.000 e 7.500 unidades foliculares disponíveis, ou seja, de 5.500 a 15.000 cabelos, facto que limita o efeito de qualquer transplante capilar.

Diariamente, perdemos 50 a 100 cabelos mas, felizmente, a maior parte desse cabelo volta a crescer, desde que os folículos permaneçam intactos e saudáveis.

É necessário que a queda ou perda de cabelo atinja 50% do número total de cabelos, para que seja percetível ao olho humano, daí que só necessitaremos de metade da densidade original para o paciente ficar com o mesmo aspecto do passado.